quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Nice: Elegância Francesa na Riviera


Capital não-oficial da Riviera Francesa, a meio caminho entre o Principado de Mônaco (onde reinam os Grimaldi, a leste) e Cannes, Nice encerra um balneário e um grande porto, diante da baía dos Anjos, onde os Alpes e o rio Pail lon encontram o Mediterrâneo.
Cercada por lojas de grife e por Ferraris conversíveis por todos os lados, a cidade tem sotaque próprio --curiosamente o herói da unificação da Itália Giuseppe Garibaldi lá nasceu.
Os italianos a chamam de Nizza (o balneário pertenceu à Itália até 1860); os norte-americanos até hoje acham a cidade "nice", agradável; mas foram os ingleses que, há mais de um século, transformaram o local na era vitoriana, época em que ser inglês era quase sinônimo de abraçar o turismo.
Nice tem prédios art nouveau gloriosos e algo decadentes, além de um porto cosmopolita.
A fonte do Sol, na praça Massena, e a rua France, com seu calçadão repleto de lojas, barzinhos e restaurantes turísticos, são outros lugares em que o banhista passeia a pé.
Os restaurantes turísticos ficam atrás do chamado Quai des États-Unis, no Cours Saleya, ligados à praia por um pavilhão, na área conhecida como Vieux Nice. Às terças e aos domingos, no Cours Saleya, tem lugar um mercado de flores; às segundas, ocorre ali uma feirinha de antiguidades.
Nice é uma cidade onde luxo e lazer andam de mãos dadas.
O principal edifício, o Hotel Le Negresco (foto), lembra o nosso Copacabana Palace e é o local escolhido pelos poderosos da Europa para passar as férias.



A Promenade des Anglais é o local para caminhar e visitar as lojas mais bacanas e os melhores restaurantes e bares. Lugar para ver e ser visto...

Arte e Cultura

· Museu de Chagal: sua maior coleção, o Museu de Matisse com uma coletânea das obras deste artista. Nos arredores: Picasso Museu em Antibes. Maeght foundation em St. Paul de Vence (uma grande coleção de artistas modernos , entre eles Miró, Chagall, Matisse). A "Chapelle du Rosaire"; a capela, onde também se pode ver obras de Matisse.

· Dependendo da estação existem diferentes eventos. O "Jazz Festival" é famoso em Nice, assim também como o Carnaval, e o Festival Folclórico.

Compras
Na Rua Massena Couture acha-se todos tipos de perfumes. O Shopping Center "Nice Etoile" e a "Galerie Lafayette" garantem alta qualidade em compras.

Mercados
O famoso mercado de flores na cidade velha.


Gastronomia
Os restaurantes de Nice oferecem "Haute Cuisine, francesa e italiana" com um bom preço. Os vinhos rosé, bandol ou tinto são uma boa escolha.

Se Cannes é uma cidade tão cosmopolita ao ponto de as vezes fazer com que você se esqueça que está na França no meio daquele clima meio hollywoodiano, Nice é francesa por excelência e isso para mim é o que ela tem de melhor.
O contraste das praias de cascalho cobertas por tendas e espreguiçadeiras azuis com os prédios imponentes da avenida principal fazem dela um verdadeiro charme.
Na rua Saint-François-de-Paule, que termina na enorme praça de Cours Saleya, encontram-se exemplos vivos desse charme encantador que se mantém vivo e atrai várias gerações que aqui se fundem e harmonizam. Christophe Noirel, um dos sócios da Design 70 e POP Art – uma loja de roupa, de peças de mobiliário dos anos 70 e de esculturas definidas pelo próprio como radicais – viajou pela Europa, morou em cidades como Barcelona e Amsterdam, mas regressou a Nice porque, apesar de ter reconhecido noutras cidades encantos valiosos, garante que “nenhuma outra cidade tem um clima tão caloroso, tamanho número de pessoas bonitas e tentadora qualidade de vida”.
No final da Saint-François-de-Paule, onde o comércio é o mais tradicional possível e se multiplicam lojas de azeite, gourmet, pastelarias com produção própria, perfumarias com aromas extraídos da região (algumas das quais exclusivamente destinadas ao souvenir), abre-se o Cours Saleya, a célebre praça local, rodeada de restaurantes e brasseries.

Para uma refeição mais breve,café da manhã e almoço, o Le Pain Quotidien, uma cadeia ao estilo dos fast-food, mas com caracterização provençal (é um franchising belga) é uma boa opção. Tudo o que é aqui servido pode ser comprado para levar para casa, desde o pão ao azeite. O espaço preenche-se de vinagres, azeites, compotas, patés, entre tantas outras iguarias expostas em grandes armários de madeira. Mais elegante (e menos acessível) é o Le Parcours, situado em Falicon, uma vila vizinha de Nice.

Jean-Marc Delacourt, proprietário e chef do restaurante com o título de “Maître Cuisinier de France”, desenvolveu um conceito original: enquanto são degustadas as apuradas e bem apresentadas iguarias, é possível, através de câmaras e televisores, acompanhar o trabalho da cozinha.

Querem saber? Entre Cannes e Nice Eu prefiro Nice...

2 comentários:

Antonio Da Vida disse...

Entre Cannes e Nice eu também prefiro Nice, que não só é maior, mas também mais autêntica, mais real. Nada como passear pelas ruazinhas da Vieille Ville de Nice, e sentir-se na Itália, falando em francês e lendo os nomes das ruas no antigo dialeto local, uma variante do catalão. Mais mediterrânicamente saboroso, só mesmo uma salade niçoise com um bom vinho branco!:-)
Uma dica? Do bar no último andar do Meridien se tem uma bela vista da cidade, para quem não estiver a fim de subir até o topo do morro onde ficava o Castelo de Nice.
XXX/A

Julia Fontelles disse...

Exatamente: Nice é melhor por ser mais autêntica, vc disse tudo em seu comentário!E as dicas foram ótimas!